Siga-nos:

Nota de esclarecimento da Federação Brasileira de Gastroenterologia sobre os IBPs (omeprazol, entre outros)

09/11/2017
Recentemente, foi amplamente divulgado um artigo sobre o aumento do risco de câncer gástrico após erradicação da bactéria H. pylori e uso de omeprazol (medicação para reduzir a acidez do estômago). Muita gente vem perguntando sobre isso. A seguir, Nota de Esclarecimento da Federação Brasileira de Gastroenterologia.

Nota de esclarecimento da Federação Brasileira de Gastroenterologia sobre os IBPs
(Inibidores de Bombas de Prótons)

 

“Com relação ao estudo clínico recém-publicado na revista médica GUT, pelo Dr. Wai Keung Leung e colegas, denominado “O uso prolongado de IBPs pode dobrar o risco de câncer gástrico nos pacientes tratados para a erradicação da infecção do Helocobacter pylori“, realizado no Hospital Queen Mary de Hong Kong, temos a comentar nesse momento:

1. Esse foi um estudo retrospectivo, observacional, não-randomizado, e como tal, deve ser analisado com muita atenção e cautela porque esse tipo de estudo pode sugerir associação mas não causa e efeito;

2. É fundamental entender que, nesse estudo, os dois grupos pesquisados (num usando IBP e noutro não) os pacientes não foram comparáveis em relação aos fatores de risco para câncer gástrico, tais como, dieta, história familiar e estado socioeconômico. Bem como, não foram avaliados outros fatores de aumento de prevalência do câncer gástrico, como, fumantes, uso excessivo de bebidas alcoólicas e obesidade;

3. Não há menção da avaliação histopatológica da mucosa gástrica nos pacientes de ambos os grupos, no início do estudo e no seu seguimento;

4. A incidência de câncer gástrico em Hong Kong é maior do que a no Brasil e uma das elevadas do mundo.


Os IBPs revolucionaram o tratamento das doenças ácido dependentes, trazendo resultados excelentes para a cura e a qualidade de vida dos seus portadores. Foi comprovado também, que os principais efeitos colaterais dos IBPs estão relacionados à dose total utilizada nos tratamentos.

Por tudo isso, a Federação Brasileira de Gastroenterologia, se compromete com os gastroenterologistas, com a classe médica em geral, e com a população brasileira, a emitir uma nota oficial sobre esse assunto dentro de alguns dias, quando estaremos realizando, em Brasília, o maior congresso latino-americano da especialidade, a Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, a XVI SBAD, onde se reunirão especialistas nacionais e internacionais, e onde faremos uma avaliação rigorosa desse estudo e emitiremos nosso parecer final.

Atenciosamente,”


Flavio A. Quilici

Presidente da FBG

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seja o primeiro, faça seu comentário. ;)